Conheça os diferentes tipos de clareamento

O brasileiro é um povo muito vaidoso, principalmente quando se fala na chegada do verão. Embora o corpo e a pele sejam o principal foco de atenção, ter um sorriso branquinho e em harmonia com as características pessoais está cada vez mais presente na lista de prioridades de quem deseja repaginar o visual. Com isso, uma das intervenções estéticas mais procuradas atualmente é o clareamento dental. 

Diferentes opções:

Clareamento a  laser – É feito no consultório com géis clareadores à base de peróxido de hidrogênio, ativados por laser ou LED.

Clareamento caseiro – É o tratamento mais eficaz e seguro e sempre deve ser realizado com a supervisão de um dentista. Nesta opção, o dentista cria uma moldeira de silicone a partir dos dentes do paciente. Em casa, é só aplicar o gel de clareamento no molde, de acordo com a quantidade e tempo determinado pelo especialista. Jamais se deve comprar um clareador vendido indiscriminadamente sem orientação de um profissional especializado. Isso pode causar vários danos, como sensibilidade dolorosa, inflamação nas gengivas, queimaduras e prejuízo do esmalte dos dentes.

Combinação de técnicas – Pode acelerar o processo em alguns casos. De início, é indicado a moldeira em casa e podem ser feitas algumas sessões de clareamento no consultório, sob supervisão do profissional, com géis mais concentrados, protegendo os tecidos moles – gengiva, língua, bochechas e lábios.

De olho na alimentação

Devem-se evitar alimentos e bebidas com pigmentos por pelo menos 3 a 4 horas após a aplicação do gel. Por isso recomendamos o período de aplicação entre o jantar e a hora de dormir. Alguns alimentos podem ser evitados por quem faz um clareamento dental para não comprometer o resultado do tratamento, já que a ação dos clareadores deixa os dentes mais suscetíveis a manchas. Evite sucos de uva, vinhos, café, açaí, beterraba e refrigerantes à base de cola, sucos artificiais, molhos coloridos, catchup, etc. Se sentir necessidade de tomar chá ou café, é recomendado usar um canudinho, para minimizar os efeitos da pigmentação.

O pH baixo, acido, diminui a eficiência dos clareadores. Os fumantes também devem parar de fumar se quiserem ter resultados satisfatórios.

Alguns alimentos devem sair do cardápio de quem faz um clareamento dental para não comprometer o resultado do tratamento, já que a ação dos clareadores deixa os dentes mais suscetíveis a manchas. É recomendado evitar sucos de uva, vinhos, café, açaí, beterraba e refrigerantes à base de cola. Se sentir necessidade de tomar café, recomendamos usar um canudinho, para minimizar os efeitos da pigmentação.

Duração

A durabilidade do tratamento é variável e vai depender de alguns fatores. Na maioria das vezes a cor branquinha permanece por dois a três anos, quando o paciente toma os cuidados necessários, evitando o fumo e alimentos que mancham os dentes.

Quem não pode fazer?

Pessoas com doenças gengivais, com hipersensibilidade dentinária, dentes cariados, com histórico de reações adversas em tratamentos anteriores, gestantes, lactantes e que tenham boca seca, por uso de medicamentos e quimioterapia não devem fazer clareamento. Também não é indicado para quem tem restaurações, coroas e facetas que estejam em harmonia com dentes naturais. Apenas os dentes naturais clareiam, os materiais restauradores não. Por isso é tão importante fazer um exame completo da boca para avaliar a possibilidade de fazer o procedimento.

As técnicas para o clareamento dental não promovem nenhum tipo de enfraquecimento dos dentes. Os resultados são excelentes quando bem indicado e realizado adequadamente.